terça-feira, 8 de abril de 2008

O que faz de nós, o amor?
Nos larga num rodopio
onde nos perdemos
entre versos e histórias.

A vida em linha
se contorce.
Sentimo-nos dobrá-la,
como a indicar
a direção certa.

Os pensamentos loucos,
as distâncias infindáveis.
Tudo parece ter razão.
A razão do coração pulsar
forte e tranqüilo pela primeira vez.

Nenhum comentário: