sexta-feira, 18 de abril de 2008

Olho o relógio e já é tão tarde…
Desta vez não estou preso ao computador
Não te vejo numa pequena imagem
Parecendo só um lindo sonho
Uma fugaz miragem!
Fechos os olhos e vejo-te
Como numa bela fotografia
Mas não sinto muita alegria,
Apercebo-me que já decorei
Todos os traços do teu rosto
Uma lágrima em segredo cai de saudade
Mas nunca por desgosto!
Hoje estou sentado junto ao mar…
Tal como eu está muito agitado
Ambos pelos mesmos motivos
Pelo Tempo…
Pelo tempo que teima em não passar
Com um leve trago de tristeza no ar!
O vento sopra-me forte no rosto
E com ele vem um ar frio,
Mas não tão frio quanto este vazio
Quase sem fim!
Sinto saudade, desabafo para mim
Amo-te de verdade!!!
Concentro-me na escuridão do mar
E nem a chuva que me está a molhar
A sinto cair…
Parece que tudo me passa ao lado…
Tudo menos o teu lindo sorriso
Esperança certa de um futuro
Presente num triste passado!
Caminho sozinho pela praia
Procuro um rumo, uma longa trilha
Que me leve a ti…
Volto a chorar, é difícil aguentar esta dor
Sentimento forte, um grito de amor
Sinto a tua falta, sufoca-me a alma…
Limpo as lágrimas
Penso com o coração…
Esperei muito tempo por ti
Por este Sonho, por este Amor!
Nada vai-me dissuadir
De lutar por ele até não ter mais forças
Nem mesmo um Oceano impede o meu desejo
De ser feliz ao teu lado
De sentir o calor do teu abraço
O carinho apaixonado
De um eterno beijo!
O teu encanto fez a minha vida renascer
Como o Sol do um novo amanhecer!

Nenhum comentário: