terça-feira, 15 de abril de 2008

Sorrio, hoje, um sorriso mais bonito
Há nele uma sinceridade espontânea
Uma espontaneidade que, incontida
Deixa-me repousar por entre suas afetuosas palavras
Tranquilamente o amor dito ecoa
Cola pedaços, reunifica.
Os sentimentos partidos, partem pra longe
E cresce o desejo de não mais vê-los

A alegria me acoberta, não sufoca.
Minhas mãos gélidas agora estão quentes
Assim como meu coração, antes confuso
Agora pulsa pra perfundir felicidade
E meus olhos, como estão!
Brilham mais que estrelas
Tão pequenos quanto elas
Mas que de perto
São imensamente profundos

Nenhum comentário: