sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

A vida ao redor de si mesma

Perdeu um amor?
Chore, chore, chore...
Alugue os amigos com seu papo de bêbado rejeitado.
Questione a vida e seus caprichos.
Tire conclusões precipitadas.
Chore, chore, chore...
Canse a família com sua indignação diante do fim evidente.
Prometa nunca mais amar de novo.
Vá a uma festa.
Sinta saudades.
Chore, chore, chore...
Tente trabalhar e passe o dia olhando pro teto.
Reclame da falta de concentração.
Resmungue, pragueje, mostre-se vingativo.
Chore, chore, chore...
Continue amolando os amigos.
Depois, fuja do assunto, desconverse.
Diga que está tudo superado.
Sinta uma vontadezinha de chorar.
Durma pensando nas perdas.
Tente reconhecer os ganhos.
Reavalie seus argumentos,
Sua forma de pensar.
Reflita, reflita, reflita...
Aprenda alguma coisa com tudo isso!
Então,
Sorria, sorria, sorria...
Perceba que a vida deu uma volta ao redor de si mesma.
E você, mais uma vez sobreviveu.
Poderia dizer muito, pouco ou nada agora.
Se mostrasse meus caninos e minhas unhas afiadas,
Talvez dissesse algo sobre nós.
Tudo que me inspira paixão,
Extrai o melhor e o pior de mim.
Mesmo distante,
você me envolve em seu vapor quente.
Mas, eu não derreto.
Eu inflamo!
E fica dolorido esse espaço vazio ao meu lado.