quinta-feira, 16 de outubro de 2008

Se eu soubesse escrever...

Se eu soubesse, pra você,
Escreveria uma música inteira.
Versos, melodia, voz.
Em múltiplas sílabas, tudo a minha maneira.

Melhor seria, se pudesse, eu,
Escrever uma sinfonia.
Maestro, acordes infinitos...
Só pra alegrar o seu dia.

Escreveria contos, romances,
Mil histórias fantásticas.
Faria dos nossos momentos juntos,
A obra mais admirada do mundo.

Inventaria diálogos, gestos, olhares.
Num filme lindo.
De cenas incomparáveis.

Descreveria com exatidão.
O mar, o sol.
E do céu, desvendaria.
Toda a sua imensidão.

Recriaria o mundo.
Se soubesse, eu, escrever.
Só pra te provar,
O quanto amo você.

Aos mestres.

Eu me diplomei mestre, mas ainda não me sinto professora.
Como você que demonstra amor pelo ensino, eu ainda não o amo incondicionalmente.
Como você que não desanima diante da dúvida, eu ainda as tenho aos montes.
Como você que acolhe os aprendizes, eu ainda preciso continuar aprendendo.
Para ser mestre, o amor, as dúvidas e o aprendizado são eternos e essencias.
Talvez esteja, eu, no caminho certo.