quarta-feira, 6 de maio de 2009

Nossa casa tem uma janela
que se abre para o mundo.
A desconhecida porta
o inimaginável.
Prova sem retorno
os novos tempos.

Seja amplo!
Acolhe em si
o não saber
e o querer mais.
Dê-me a mão.
Guia-me no caminho estranho
do seu peito.

Nenhum comentário: