segunda-feira, 28 de junho de 2010

Ode às palavras.

Eram pequenas, palavras enfileiradas
de arial formato.
Se descobriram vozes das mais
encantadas ideias.
Repousaram no papel branco entre minhas mãos.
Nasceram negras. Não morrerão jamais.

Inspirada em:

Ode ao inseto.

"Era pequeno, inseto voador
de asinhas minúsculas.
Descobriu as mais belas e colossais
paisagens.
Pousou na tinta ainda úmida sob o prato.
Morreu, colorido."

(Anna Anjos)
http://www.annaanjos.blogspot.com/

2 comentários:

Anna Anjos disse...

Sejamos repentistas cantadores da vida! Vamos expandir em palavras, gestos, cores e alma os sentidos cósmicos!

Mônica Lobo disse...

Eu levo a sanfona. ;)