sábado, 9 de outubro de 2010

O que sentimos de verdade, nunca escrevemos pros outros, pois é intranscritível.  O que fazemos são pequenos manuais universais  do senso comum sentimental.

Nenhum comentário: