sábado, 30 de novembro de 2013

Inteira

Não se engane que sou flor
porque sou mulher.
Sou árvore inteira!

Raízes, sumos.
Permeáveis folhas verdes.
Tronco rijo.
Seiva bruta e elaborada.
Uma riqueza.

De minhas eflorescências,
os que beijam flor se regalam.
Sou casa de passarinho.
Para borboletas,
o meio do caminho.

Sou generosa sombra
às almas cansadas.
Germino em comunhão
com o fruto.

Que frutos mais saborosos:
a vida! A flor! O encanto!

Nenhum comentário: