segunda-feira, 23 de junho de 2014

Afogamento

Como num afogamento
eu corri, gritei,
chamei ajuda.

Nadei contra ondas enormes
me perdi na espuma dos dias.
Avancei na solidão da arrebentação.
Quem sou eu senão um grão?

Mergulhei, mergulhei.
O horizonte, ele rodava.

Era branco, era água,
chegando perto
achei nada.

Só minha vontade afogada,
junto ao que queria salvar.