domingo, 6 de julho de 2014

A academia e os espelhos

Quem é essa pessoa?
Essa de roupa estrangulante.

Ah, sim, as regras.
Tem que apertar
Tem que suar
Um tanto de dor
É essencial.

Muito peso a levantar
Músculo a contrair
Energia a gastar
Ideia a sumir.

Duplicatas nos espelhos
Todos tão iguais
Engano
Cadê a gente?

Na saída, água fresca
Que inferno lá dentro
Afetos secos
Terra compactada
E a pessoa, nada?

Nada para longe do aquário
Descobre a parede invisível
Quebra, deságua
Morre.

Renasce a liberdade
Esta mentira deslavada
Que é melhor que espelhos
Melhor que nada.


Nenhum comentário: